Isolamento social e a importância da terapia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A pandemia mundial causada pelo novo Coronavírus mudou a vida das pessoas de forma rápida e inesperada. A alteração na rotina, os novos hábitos de higiene, o excesso de notícias negativas, as incertezas sobre a doença, os impactos econômicos, somados ao distanciamento social e ao medo de contrair a Covid-19 são fatores de risco que podem influenciar diretamente na saúde mental.

De acordo com pesquisas da UNICAMP e Fiocruz, quase 30% dos moradores do estado de São Paulo começaram a ter dificuldades para dormir e para 39%, ficar deprimido ou triste virou algo corriqueiro. Cerca de 60% das mulheres afirmaram sentir ansiedade com frequência, enquanto a porcentagem dos homens ficou em 40%.

A ansiedade e estresse podem impactar a vida de uma pessoa de diferentes formas.
Conheça alguns sinais comuns:

- Aumento dos batimentos cardíacos;

- Aumento do cortisol que eleva a probabilidade de infarto, AVC, pressão alta, depressão e ansiedade;

- Cansaço e falta de energia;

- Aumento do uso de substâncias como remédios, cigarro, álcool e drogas;

- Falta de ar;

- Sentimentos de raiva, preocupação, medo, tristeza e culpa;

- Desânimo e irritação;

- Alterações no apetite e no sono;

- Dificuldade de concentração.

- Irritabilidade.

As pessoas mais vulneráveis ou que às vezes não conseguem se expressar tão facilmente, como as crianças, idosos e pessoas portadoras de deficiência, podem ficar mais agitadas, zangadas, ansiosas e retraídas.

Cuidar da saúde mental é muito importante, principalmente nessa nova realidade em que os sentimentos podem ficar mais aflorados. Tenha equilíbrio entre o trabalho e o lazer, faça atividades físicas e exercícios de relaxamento e tente manter uma rotina. Caso sinta necessidade, procure um psicólogo - o profissional ideal que vai te ajudar a passar por esse momento da melhor forma. Atualmente, o atendimento com esse especialista pode ser feito até mesmo online.

 


×